10/21/2017

1922 (Stephen King / 2017) - Crítica do filme de Terror da Netflix






1922 é mais uma adaptação do Stephen King feita pela Netflix, bem perto da adaptação do livro Jogo Perigoso que ficou perfeita.

O novo filme não ficou atrás, a adaptação segue bem o conto que conta a vida de um fazendeiro que decide matar sua esposa porque ela quer vender as terras do casal. Pra isso ele ainda resolve convencer o filho a ajudar nessa ideia.



Esse filme ficou bom, mas eu já aviso que ele é lento. Stephen King resolveu acabar com esse protagonista lentamente, destruindo tudo aos poucos de uma maneira diferente da maioria dos outros filmes de terror. Acompanhando o filme você vê que o tempo é a pior tortura, chegaria a dar pena do fazendeiro?
Vale a pena, mais uma bela adaptação feita pela Netflix, mas eu tenho que avisar que o conto é melhor.


***SPOILER***

Não da pra não fazer uma comparação do filme com o conto que faz parte do livro "Escuridão Total Sem Estrelas", sem duvida um dos livros mais pesados do King.
Alguns diretores americanos, eu não sei porque, decidem amenizar as histórias, e isso aconteceu aqui.
A parte em que o fazendeiro e o filho matam a mulher no livro, acontece de forma lenta e mostra que o plano deles saiu todo errado, o que acaba traumatizando totalmente o filho deles, e é isso que da a consequência das coisas que acontecem com ele depois.
No filme a morte acontece de forma mais rápida e menos traumática, fica parecendo que os problemas do garoto são por causa da namorada dele e não são. Aquilo foi só mais uma consequência.




Faço um apelo a alguns diretores americanos pra pararem de amenizar as histórias. Assiste e aguenta quem quer.
Jogo Perigoso foi perfeito porque não teve esse erro, ele é totalmente fiel ao livro, e ainda conta com uma cena gore.

Mesmo assim 1922 ficou um excelente filme, vale a pena ver.


Nota 3 / 5



Trailer:





Bons Pesadelos...