6/28/2016

Lenda Urbana se transforma em Realidade em SP

Post que você pode assistir o video do canal ou ler o texto aqui no blog do Medo B!






Uma lenda urbana normalmente já é assustadora, quando ela deixa de ser lenda e se transforma em realidade então...

A famosa Lenda Urbana da seringa conta que um homem estava saindo com uma garota, eles queriam fazer sexo mas ela exigiu que fosse sem camisinha. Depois de um tempo ele descobriu que estava com Aids, tinha sido infectado.

O cara ficou revoltado, brigou com a família e acabou largando trabalho e estudos e virando morador de rua.
Então a única coisa que ele faz com o dinheiro que consegue nas ruas é comprar seringas, encher elas com o próprio sangue e colocar em poltronas de cinemas para infectar os outros. É a vingança dele.

Algumas pessoas tb afirmam que depois de um tempo esse mesmo morador de rua começou a assaltar as pessoas na rua ameaçando elas com seringas com aids.

Esse morador nunca foi encontrado, a história não foi provada, então por isso virou uma lenda.

Bom, isso parou de ser lenda urbana agora dia 22 de Junho.





Uma mulher estava atravessando uma rua num cruzamento da avenida paulista quando um homem injetou uma seringa nas costas dela.

Ela disse em entrevista que sentiu alguma coisa pontuda nas costas dela, ela achou que era algum amigo com uma caneta, mas o homem logo depois saiu correndo. Ela viu o homem logo a frente tirar uma seringa do casaco e espetar nas costas de outra mulher e depois ir embora.

Uma médica do Instituto da Peruana que passava por ali correu para socorrer a segunda mulher. Então a primeira foi falar com ela e viu que tinha uma marquinha em suas costas com uma gotinha de sangue, comprovando que ela tb foi espetada.

As duas foram levas para o Instituto de Infectologia para fazer exames de DSTs e drogas. Elas também tomaram um coquetel para prevenir HIV.
O resultado dos exames não foram divulgados.
As duas terão que passar 28 dias fazendo esse tratamento com coquetel e exames contínuos.

A médica afirma que a chance de contágio é pequena, mas não é nula.

As duas ficaram abaladas pela agressão física e psicológica. Ninguém sabe o que tinha na seringa ou se até estava vazia, mas elas realmente foram espetadas. O Instituto confirmou o atendimento as duas mulheres em entrevista para o UOL.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2016/06/24/me-sinto-impotente-diz-mulher-atacada-com-seringa-na-avenida-paulista.htm


Agora que é verdade vcs tem Medo do homem que anda furando as pessoas com uma injeção na rua?

A idéia parece bizarra e absurda mas não esqueçam que existe o clube do carimbo, que é um grupo de pessoas com HIV que tem objetivo de infectar outras pessoas com HIV. Eles fazem isso pq acreditam que se todo mundo tiver HIV acaba o preconceito.
Esse cara pode ser alguém desse grupo que viu na lenda uma nova forma de atacar...

A maldade e a loucura humana são coisas assustadoramente fascinantes...


Bons Pesadelos...